Como pagar menos impostos com o Planejamento Tributário

BMS Consultoria Tributária

Compartilhe esse artigo:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter

Não é novidade para ninguém que o sistema tributário brasileiro é complexo, cheio de peculiaridades e em constante mudança.

Cumprir com as obrigações fiscais e tributárias é considerado um grande inconveniente para alguns negócios, mas é essencial manter os tributos em dia para evitar problemas com o Fisco.

Foi pensando em aperfeiçoar isso nas empresas que surgiu a disciplina de planejamento tributário.

O que é planejamento tributário?

Também chamado de elisão fiscal, o planejamento tributário é uma ferramenta de gestão financeira, a qual auxilia empresas e empreendedores a terem uma visão melhor de valores, prazos e tipos de impostos a serem pagos ao longo do ano fiscal.

Se engana quem vê o planejamento fiscal como um simples preparo anual para pagamento de impostos. 

A elisão fiscal vai muito além: ela auxilia na organização tributária da empresa, além de melhorar a estruturação financeira, analisar o modelo de negócio, as relações com fornecedores e também avaliar a estratégica logística.

Tipos de planejamento fiscal

Por ser uma ferramenta de gestão financeira, é essencial que o planejamento tributário esteja bem alinhado com todas as áreas da empresa, já que acaba afetando o negócio como um todo.

Levando isso em consideração, é necessário que seja feita uma análise para compreender o modelo de planejamento fiscal que melhor representa a estrutura organizacional da sua empresa.

A seguir, vamos abordar detalhadamente os 3 principais tipos de planejamento fiscal:

  1. Operacional

Curto prazo: 3 a 6 meses

O planejamento tributário operacional tem como prioridade o cumprimento das obrigações fiscais diárias da empresa. Ele conta com a organização da rotina de pagamento de tributos e balanços periódicos. O modelo operacional é fundamental quando o negócio tem como objetivo reduzir tributos, já que isso acontece através da antecipação de pagamentos.

  1. Tático

Médio prazo: 1 a 3 anos

O planejamento tributário tático tem como foco as áreas e departamentos específicos da empresa. O modelo tático fica encarregado pela criação e implementação de metas que vão de acordo com os objetivos estratégicos do negócio. Nele, o responsável por cada setor determina os meios pelos quais as metas devem ser aplicadas.

Por ser um modelo que varia de acordo com as especificações de cada setor, o planejamento tributário tático é flexível, sendo moldado conforme cada negócio. 

  1. Estratégico

Longo prazo: 5 a 10 anos

O modelo de planejamento tributário estratégico é considerado visando resultados futuros. Ele conta com o estabelecimento de projeções, objetivos e direciona o negócio para o caminho a ser seguido.

Considerando isso, ele normalmente é desenvolvido pela diretoria e/ou cargos de alto nível, que são responsáveis pela estratégia da empresa.

Qual é o tipo ideal de planejamento fiscal para o meu negócio?

Como pudemos perceber, a aplicação e desenvolvimento de cada modelo de planejamento é moldável de acordo com os objetivos e metas de cada empresa. 

Além disso, é importante ressaltar que diversos fatores influenciam na execução de cada projeto, tanto aspectos internos (como novos processos e reestruturações) quanto externos (como mercado ou fornecedores). 

Por isso, o ideal é que o planejamento passe por uma revisão gradual, com o intuito de alinhar metas e objetivos estabelecidos e analisar se continuam de encontro com a fase atual da empresa.

Qual é a importância do planejamento tributário no Brasil?

Como em qualquer setor, de qualquer área, o planejamento é fundamental para a consolidação de resultados, atingimento de metas e posicionamento no mercado.

O planejamento tributário é fundamental para obtenção de bons resultados, afinal, no Brasil, as empresas são as mais afetadas pelas questões fiscais, e quaisquer “imprevistos” no planejamento, podem acarretar consequências negativas ao balanço do ano. Por isso, é preciso estar preparado para essas eventualidades.

Uma empresa que não está preparada para as eventuais mudanças no cenário econômico e tributário do país, estará à mercê de riscos no faturamento, assim como não estará preparada para competir no mercado.

Um bom planejamento tributário te permite:

  • Não ser impactado diretamente às inconstâncias do cenário econômico e tributário;
  • Precaver a empresa no curto, médio e longo prazo;
  • Compreender o momento atual da companhia, analisando o melhor regime a se enquadrar;
  • Evitar pagar multas, principal e mais comum erro de uma empresa sem planejamento; 
  • Redução de valores;
  • Maior prazo.

Qual é a hora certa para fazer um planejamento fiscal?

Como na maioria das estratégias, pensar visando o futuro é a forma mais fácil e correta de viver o presente. É através de um planejamento que podemos estipular metas e objetivos, mas a grande questão é “quando é esse momento?”.

É preciso fazer com antecedência. Recomenda-se que as empresas comecem a pensar no planejamento tributário antes do ciclo anual se encerrar – doze meses.

Ao final do ciclo anual, é possível alterar seu enquadramento fiscal pois é recomendado para manter um negócio saudável e em conformidade com a legislação fiscal. 

Como fazer um planejamento tributário?

Ao longo deste artigo, definimos o conceito de planejamento tributário, apresentamos seus diferentes tipos e destacamos por que é uma ferramenta essencial às empresas.

Investir nesse planejamento é um diferencial estratégico para o seu negócio, e vai ajudar você a:

  • Tornar sua operação mais madura e eficiente;
  • Recuperar créditos e obter fôlego financeiro; e
  • Investir em iniciativas de crescimento mais ousadas

Por isso, agora chegou o momento de mostrarmos o passo a passo para fazer um planejamento tributário realmente estratégico para o seu negócio. Veja a seguir:

Passo 1: Escolher o regime tributário ideal para seu negócio:

O regime de tributação nada mais é do que o sistema que organiza a cobrança de impostos de cada tipo de CNPJ. Esse sistema é definido com base no montante arrecadado pela empresa.

Além disso, existem também outros fatores levados em consideração na hora de definir o regime tributário de uma empresa. São eles:

  • Porte: pequeno, médio, grande etc.
  • Atividade fim exercida
  • Faturamento anual
  • Dentre outros

No Brasil, existem 3 opções de regimes de tributação. Sendo que a escolha entre elas deve ser feita de forma alinhada com os objetivos do negócio e, ao mesmo tempo, com as regras estipuladas pelos órgãos reguladores.

As 3 opções são as seguintes:

  1. Simples Nacional: Para micro e pequenas empresas com um faturamento de até R$ 4,8 milhões anuais.
  1. Lucro Presumido: Para empresas com faturamento de até R$ 78 milhões ao ano.
  1. Lucro Real: Não possui limite de faturamento. Algumas atividades são obrigadas a ser Lucro Real.

Passo 2: Analisar o desempenho da sua empresa

Desenvolver o planejamento tributário de uma empresa é uma tarefa que exige compreender a fundo sua operação. Dessa forma, é possível identificar fatores que podem mudar o recolhimento tributário do negócio. Mudanças no desempenho financeiro são um bom exemplo de

Por isso, é indispensável fazer análises de desempenho financeiro do negócio. Afinal, isso é o que permite prever e se preparar com antecedência para eventuais atualizações tributárias.

Passo 3: Traçar objetivos e metas

Assim como é importante analisar constantemente o desempenho financeiro da empresa, também é preciso ter uma visão clara dos objetivos e metas de crescimento.

Conforme a empresa expande suas operações, aumenta suas vendas e faturamento, o recolhimento dos tributos precisa ser ajustado. Antecipar esse tipo de ajuste é importante, porque dessa forma a empresa continua a operar de acordo com o fisco e evita prejuízos futuros com multas

Passo 4: Elaborar o planejamento tributário

O planejamento tributário é uma atividade que todos os tipos de empresa precisam desenvolver. Sejam elas novos negócios, que estão apenas começando; ou empresas que já estão na ativa a mais tempo.

O que muda é que para empresas novas, será preciso definir o regime de tributação, como mencionamos no “passo 1”. A partir disso, será possível colher o restante das informações que serão essenciais para formar um planejamento eficaz.

Já as empresas que estão na atividade há mais tempo, é necessário compreender qual regime de tributação ela está hoje, e avaliar se este precisará ser atualizado. Dessa forma, a empresa é capaz de planejar o pagamento de tributos de forma adequada com suas características, por exemplo: porte, tamanho, atividade etc.

E por que esta é uma tarefa que as empresas precisam desenvolver? Simples, o planejamento tributário é uma ferramenta eficaz para a elisão fiscal, ou seja, quando a empresa é capaz de otimizar sua operação para diminuir sua carga tributária ao máximo.

Contar com especialistas em tributação é a chave para pagar menos impostos, de forma adequada em relação ao fisco.

Faça seu planejamento tributário com a BMS

Conforme apresentamos nesse artigo, o planejamento tributário é uma tarefa indispensável para que uma empresa tenha melhor controle sobre seu crescimento, reduza sua carga tributária e ganhe fôlego financeiro para investir em projetos de expansão comercial.

Sem um planejamento tributário adequado, as empresas correm o risco de:

  • Pagar tributos a maior
  • Pagar impostos indevidos
  • Pagar multas evitáveis

Por isso, contar com uma consultoria especialista é uma forma de ter assertividade na gestão desse processo.

Se você deseja fazer um planejamento tributário estratégico para o seu negócio, fale com um de nossos especialistas.

Artigos relacionados

Receba conteúdo estratégico sobre tributação e tecnologias na gestão de pessoas.